Varizes: muito mais do que um problema estético

Que problemas é que as varizes podem causar? Como se diferenciam dos "derrames"?

Para além de ser um visível problema de estética, as varizes podem ser, acima de tudo, causa de um imenso desconforto e de outros problemas mais graves. Predominantes nos habitantes dos países mais desenvolvidos e nas pessoas do sexo feminino, são um importante factor de risco para, por exemplo, a ocorrência de tromboflebites, um fenómeno que consiste na trombose do sangue no interior da variz que, desta maneira, ficará ocluída (ou seja, obstruída) e inflamada. Torna-se, então, evidente como um cordão duro, com a pele suprajecentes ruborizada e quente, e extremamente doloroso.

Quando não tratadas, as varizes podem, ainda, causar, com o passar do tempo, alterações na pele. Destas alterações, destacam-se: a hiperpigmentação (áreas de coloração acastanhada, predominante na zona inferior das pernas), a lipodermatosclerose (a pele fica fragilizada, brilhante e propensa ao aparecimento de úlceras), o eczema e as úlceras (feridas na perna, habitualmente de difícil cicatrização e caracterizadas por recorrência, isto é, repetição). Estas são situações de doença venosa severa, que devem ser evitadas. Após o desenvolvimento destas complicações, os resultados cirúrgicos serão sempre sub-óptimos.

É, ainda, importante distinguir as varizes dos "derrames": afinal, as varizes distinguem-se por serem veias dilatadas e tortuosas que se localizam debaixo da pele e cuja origem está relacionada com as alterações de estrutura das suas paredes, que se tornam mais frágeis. Já os "derrames", são pequenos vasinhos da pele, que pela sua coloração roxa, vermelha ou azul, se tornam muito evidentes e inestéticos. Os "derrames" e as varizes estão muitas vezes associados. Muitas vezes, os "derrames" são um indício de doença venosa.

A radiofrequência é eficaz para tratar de varizes

Felizmente, as varizes têm solução. Uma das mais inovadoras é o tratamento através de radiofrequência. Trata-se de um método com um vasto leque de vantagens: para além de ser minimamente invasivo, conseguindo evitar a incisão e a dissecção cirúrgica na zona da virilha, a radiofrequência, caracteriza-se por, não extraindo a veia, causar a sua ablação/obliteração de um modo indolor, com uma menor incidência de hematomas e uma mais rápida e cómoda recuperação.

Desta maneira, a radiofrequência é uma das melhores soluções para tratar de varizes, principalmente em doentes activos e que pretendem um rápido retorno à sua actividade diária habitual.

Porém, é fundamental relembrar que os tratamentos das varizes não são iguais para todos os casos.

Para cuidar das varizes, é importante procurar avaliação e orientação terapêutica da especialidade de Cirurgia Vascular.

A Dra. Joana de Carvalho e o Doutor Sérgio Sampaio, especialistas em Angiologia e Cirurgia Vascular, são os responsáveis pelo website www.cirurgia-vascular.pt.

Informe-se sobre varizes, "derrames" e os diferentes tratamentos disponíveis em www.cirurgia-vascular.pt

Saiba mais sobre Varizes »

Fontes:

Dra. Joana de Carvalho - Especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular

Licenciada em Medicina e Cirurgia iniciou a formação específica em Angiologia e Cirurgia Vascular em 2005, no Hospital de S. João. Obteve o grau de especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, submetendo-se, posteriormente, ao exame de certificação europeu, obtendo o título de Fellow of the European Board of vascular Surgery. Desempenhou funções de Consultora Científica na área de Cirurgia Vascular do Programa Harvard Medical School Portugal. Realizou o curso Master em Fleboestética e fez certificação na técnica CLaCS (Cryo-Laser & Cryo-sclerotherapy), ambas no Brasil. Atualmente concentra a sua atividade na prática de técnicas minimamente invasivas, sem necessidade de internamento ou repouso e com resultados cosméticos otimizados. Mantém presença assídua em revistas com artigos temáticos na área da cirurgia vascular, bem como em programas de televisão onde aborda vários temas de cirurgia vascular e explora as soluções para o tratamento de derrames e varizes.

Partilhe este artigo