Elimine os seus problemas com varizes e derrames

Se é um dos cerca de 2 milhões de portugueses que sofre com a Doença Venosa Crónica (vulgo varizes), a especialidade de Cirurgia Vascular pode ter algo a oferecer-lhe. A melhoria estética é possível, mas mais importante, a sua saúde pode colher ganhos actuais e futuros. Um dos tratamentos actuais baseia-se na radiofrequência, uma técnica essencialmente não invasiva.

Quais as principais causas e sintomas das varizes?

Aproximadamente cerca de 30% da população mundial é afectada por varizes e derrames. Esta patologia, uma das facetas da Doença Venosa Crónica, tem maior incidência no sexo feminino, mas também afecta o sexo masculino, ainda que em menor escala.

Entre os exemplo de factores que influenciam o aparecimento e agravam as varizes  estão a hereditariedade, a falta de actividade física, o excesso de peso, a alimentação pobre em fibras e os hábitos posturais. Quem, por exemplo, trabalha durante longos períodos em pé tem tendência a desenvolver com mais frequência este problema, e de forma mais grave.

A maioria das pessoas afectadas pela Doença Venosa Vascular diz notar uma sensação de cansaço geral nas pernas, inchaço, comichão e, por vezes, mesmo dor. Em casos mais graves, as varizes podem originar dermatites ou outras alterações cutâneas. As varizes são, ainda, um dos factores mais frequentemente associados à ocorrência de tromboflebites.

Para quem é atingido por este incómodo e inestético problema, a equipa da Cirurgia Vascular oferece a possibilidade de tratamento com recurso à radiofrequência.

Existem diferenças entre varizes e derrames?

Sim, existem. Enquanto os derrames são dilatações de pequenos capilares na pele, as varizes são veias dilatadas que formam linhas sinuosas de localização subcutânea, provocadas pela alteração da estrutura das suas paredes. Os derrames são pequenos vasos sanguíneos, que podem apresentar tonalidades entre o vermelho, arroxeado ou azul, sob a forma de linhas muito superficiais.

Em que consiste o tratamento de radiofrequência?

A radiofrequência é um procedimento muito pouco invasivo para o tratamento de varizes e evita a clássica incisão na prega da virilha e respectivas complicações.

Esta técnica aproveita a energia produzida pela radiofrequência para aquecer a parede da veia, através de um catéter, que é colocado no seu interior. O aquecimento irá encolher as fibras de colagénio que compõem parte da parede do vaso. Desse modo, o diâmetro da veia é reduzido e, simultaneamente, as proteínas do sangue são desnaturadas pelo calor, de forma a eliminar o vaso. No período de 10 a 12 meses que se segue, a veia acaba por fibrosar completamente, tornando-se virtualmente invisível ao exame ecográfico, mesmo sem ter sido, de facto, extraída.

Para a equipa de médicos da Cirurgia Vascular, sempre que possível, este é um dos métodos de eleição no tratamento de varizes, pois não provoca desconforto significativo nem implica períodos longos de recuperação. A Cirurgia Vascular, ao ocupar-se deste problema, pode ajudá-lo a recuperar a auto-estima e a ganhar uma nova qualidade de vida.

As consultas com os nossos profissionais podem ser agendadas através dos números 229 980 940 (Hospital de Dia da Maia), 229 980 900 (Hospital Privado da Boa Nova), 229 940 663 (Centro Médico Leça da Palmeira) ou 255 820 700 (Sta Casa da Misericórdia de Lousada).

Saiba mais sobre Varizes »

Fontes:

Dra. Joana de Carvalho - Especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular

Licenciada em Medicina e Cirurgia iniciou a formação específica em Angiologia e Cirurgia Vascular em 2005, no Hospital de S. João. Obteve o grau de especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, submetendo-se, posteriormente, ao exame de certificação europeu, obtendo o título de Fellow of the European Board of vascular Surgery. Desempenhou funções de Consultora Científica na área de Cirurgia Vascular do Programa Harvard Medical School Portugal. Realizou o curso Master em Fleboestética e fez certificação na técnica CLaCS (Cryo-Laser & Cryo-sclerotherapy), ambas no Brasil. Atualmente concentra a sua atividade na prática de técnicas minimamente invasivas, sem necessidade de internamento ou repouso e com resultados cosméticos otimizados. Mantém presença assídua em revistas com artigos temáticos na área da cirurgia vascular, bem como em programas de televisão onde aborda vários temas de cirurgia vascular e explora as soluções para o tratamento de derrames e varizes.

Partilhe este artigo