Cirurgia de Varizes: um método confortável e eficaz

Quais são as causas do aparecimento e desenvolvimento das Varizes?

Embora as varizes possam ser tratadas e eliminadas, nunca é demais lembrar que este problema de saúde pode (e deve), muitas vezes, ser evitado para não colocar o seu bem-estar em risco.

Apesar de os antecedentes familiares serem um dos fatores essenciais para desenvolver varizes, existem causas comportamentais que determinam o desenvolvimento deste problema de saúde.

Tabagismo, obesidade, sedentarismo ou uma atividade que obrigue a longos períodos de pé são apenas alguns dos motivos que podem originar o aparecimento de varizes. É por isso que a adoção de um estilo de vida saudável assume um papel importante no combate à doença venosa.

A lembrar ainda que as varizes distinguem-se dos derrames, visto que, enquanto os derrames são dilatações de pequenos capilares na pele, as varizes são veias dilatadas que formam trajetos sinuosos de localização subcutânea, provocadas pela alteração da estrutura das suas paredes. Por outro lado, os derrames são pequenos vasos sanguíneos que se apresentam sob a forma de linhas muito superficiais e finas, podendo apresentar coloração vermelha, arroxeada ou azul.

 

Radiofrequência: um Tratamento Eficaz para tratar as Varizes

radiofrequência

Muitos factos em medicina ganham uma conotação errada junto da população geral e o tratamento de varizes é um desses casos.

A verdade é que a maioria dos pacientes que sofre deste problema receia a cirurgia vascular, visto acreditar que se trata de um procedimento que requer uma longa e dolorosa recuperação, com um tempo de internamento de vários dias.

Desta maneira, o tratamento das varizes é adiado, o que pode originar o seu agravamento e desenvolvimento de complicações. No entanto, existe, atualmente, um tratamento que consegue ultrapassar estes receios: a radiofrequência. 

Sendo uma excelente alternativa à extração das veias safenas (ou seja, as veias mais frequentemente relacionadas com o aparecimento de varizes), a radiofrequência é um método que se distingue por ser minimamente invasivo e que evita a dissecação cirúrgica da zona da virilha, impedindo, desta maneira, complicações locais e com a drenagem linfática da parede abdominal e dos membros inferiores.

Em princípio, a radiofrequência pode ser aplicada à maioria das pessoas. Contudo, é essencial uma avaliação prévia numa consulta de cirurgia vascular para que, desta maneira, seja possível planear o tratamento mais adequado a cada caso.

Para além do tempo de recuperação (que, no caso da radiofrequência, é rápido), o método anestésico é outra questão que muito preocupa os pacientes, que refletem sobre se devem ou não avançar para uma cirurgia para tratar as varizes.

A radiofrequência permite a realização da cirurgia sob anestesia local ou sob uma leve sedação (de acordo com a preferência do doente).

Se pretende saber mais sobre o tratamentos vascular para varizes peça uma consulta aqui ou telefone para: +351 227 664 982.

Saiba mais sobre Varizes »

Fontes:

Dra. Joana de Carvalho - Especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular

Licenciada em Medicina e Cirurgia iniciou a formação específica em Angiologia e Cirurgia Vascular em 2005, no Hospital de S. João. Obteve o grau de especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, submetendo-se, posteriormente, ao exame de certificação europeu, obtendo o título de Fellow of the European Board of vascular Surgery. Desempenhou funções de Consultora Científica na área de Cirurgia Vascular do Programa Harvard Medical School Portugal. Realizou o curso Master em Fleboestética e fez certificação na técnica CLaCS (Cryo-Laser & Cryo-sclerotherapy), ambas no Brasil. Atualmente concentra a sua atividade na prática de técnicas minimamente invasivas, sem necessidade de internamento ou repouso e com resultados cosméticos otimizados. Mantém presença assídua em revistas com artigos temáticos na área da cirurgia vascular, bem como em programas de televisão onde aborda vários temas de cirurgia vascular e explora as soluções para o tratamento de derrames e varizes.

Partilhe este artigo