Porque aparecem e como se tratam as varizes?

Varizes são deformações nas veias do corpo do homem ou da mulher e podem ocorrer em qualquer parte, sendo que as zonas mais habituais são os membros inferiores. Isto porque uma das maiores causas das varizes é o sedentarismo e estar de pé durante demasiado tempo. No entanto, as varizes podem ocorrer em qualquer área do organismo humano e são mais frequentes em fumadores e pessoas que não praticam exercício físico.

Porque aparecem as varizes e são mais frequentes em quem tem estilos de vida sedentários?

Algumas profissões que obrigam a estar muito tempo na mesma posição - em pé ou sentado - Dra. Joana Carvalhopodem provocar varizes, sendo que outras actividades, como o culturismo, podem estar também na origem deste problema. Além da questão estética, as varizes provocam dor e uma sensação de peso ou tensão, podendo igualmente originar prurido ou ardor.

A maior parte destes sintomas deve-se a a um aumento da pressão venosa distal. As varizes podem ainda provocar edemas nos membros afectados. Se as varizes não forem tratadas, irá desenvolver-se um processo de distrofia tissular, que consiste numa reacção inflamatória com endurecimento cutâneo e do tecido celular sub-cutâneo. Este processo pode arrastar-se durante vários anos, se esta doença venosa não for tratada.

Quais as diferenças entre os derrames e as varizes?

As varizes e os derrames são variações distintas da mesma doença, sendo que os derrames distinguem-se por serem dilatações de capilares na derme, caracterizando-se por pequenos vasos sanguíneos de tons vermelho e arroxeado, como pequenos fios superficiais. As varizes e os derrames serão, porventura, a maior causa da procura por consultas de cirurgia vascular.

Para tratar as varizes, as técnicas mais eficazes passam por três tratamentos fundamentais: o «stripping» da veia grande safena e fleboextracções, a ablação por radiofrequência e a esclerose com espuma. A radiofrequência tem a vantagem de ser uma técnica inovadora, que dispensa internamento e permite uma recuperação rápida.

Quais as vantagens da radiofrequência no tratamento das varizes?

Além de ser um procedimento minimamente invasivo, a radiofrequência é efectuada com anestesia local para inserção do cateter de radiofrequência na veia, normalmente abaixo do joelho, onde a veia está mais à superfície da pele. Uma das grandes vantagens da radiofrequência para o tratamento das varizes é ter um período de convalescença muito curto e raramente implicar complicações.

A radiofrequência é uma terapia segura e eficaz no tratamento das varizes, além de permitir um retorno bastante rápido ao trabalho e à actividade diária normal. É, por isso, um tratamento a levar em conta sempre que se considerar avançar para a resolução do problema das varizes.

Para saber mais sobre varizes, derrames e respectivos tratamentos, visite www.cirurgia-vascular.pt ou envie um e-mail para joana.carvalho@cirurgia-vascular.pt ou para sergio.sampaio@cirurgia-vascular.pt

Saiba mais sobre Varizes »

Fontes:

Dra. Joana de Carvalho - Especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular

Licenciada em Medicina e Cirurgia iniciou a formação específica em Angiologia e Cirurgia Vascular em 2005, no Hospital de S. João. Obteve o grau de especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, submetendo-se, posteriormente, ao exame de certificação europeu, obtendo o título de Fellow of the European Board of vascular Surgery. Desempenhou funções de Consultora Científica na área de Cirurgia Vascular do Programa Harvard Medical School Portugal. Realizou o curso Master em Fleboestética e fez certificação na técnica CLaCS (Cryo-Laser & Cryo-sclerotherapy), ambas no Brasil. Atualmente concentra a sua atividade na prática de técnicas minimamente invasivas, sem necessidade de internamento ou repouso e com resultados cosméticos otimizados. Mantém presença assídua em revistas com artigos temáticos na área da cirurgia vascular, bem como em programas de televisão onde aborda vários temas de cirurgia vascular e explora as soluções para o tratamento de derrames e varizes.

Partilhe este artigo