Em que consiste o procedimento da radiofrequência?

A radiofrequência é um procedimento recente e muito eficaz para o tratamento de varizes. Trata-se de uma técnica endovenosa ablativa. A radiofrequência visa substituir a extracção da veia safena, evitando dessa forma a incisão na prega da virilha (obrigatória na técnica de stripping da grande veia safena). A radiofrequência tem vários passos fundamentais.

Quais os principais passos do procedimento de radiofrequência?

Em primeiro lugar, insere-se um cateter de radiofrequência na veia a tratar, mediante uma pequena punção, habitualmente no terço superior da perna. Esta punção é feita com auxílio de ecografia, isto é, eco-guiada. A extremidade desse cateter é colocada na zona em que a veia safena conflui com a veia femoral (nível da virilha), de modo a proceder a uma correcta ablação da veia. Posteriormente, procede-se a uma anestesia local ao longo da veia. Esta etapa tem a função de afastar as estruturas circundantes e provocar uma compressão da veia de modo a que a sua parede fique, assim, em contacto com o catéter em toda a sua extensão. Este catéter vai libertar energia térmica à medida que é removido, de forma totalmente controlada pelo médico especialista em cirurgia vascular. Todo este processo é feito com controlo ecográfico.

Neste método, a energia da radiofrequência é utilizada para aquecer as paredes das veias. Em termos técnicos, este aquecimento vai provocar o encolhimento das fibras de colagénio que constituem aquele vaso. Como o seu diâmetro é encurtado e as proteínas existentes na corrente sanguínea desnaturadas, a veia vai ficar "obliterada". No final, as veias intervencionadas são fibrosadas, tornando-se indetectáveis sem que tenham realmente sido extraídas.

Quais as principais vantagens desta Técnica Endovenosa Ablativa?

A radiofrequência é um processo extremamente seguro, pois é totalmente controlado por um gerador especial, concebido para ajustar os níveis de energia, com vista a conseguir-se um aquecimento constante das paredes das veias, normalmente entre os 85 e os 90 graus centígrados.

A radiofrequência tem a vantagem de ter poucas complicações e implicar um período mínimo e mais confortável de recuperação dos pacientes. Esta técnica pode ainda, ao contrário do stripping da veia safena, ser realizada sob anestesia local, o que, para muitos pacientes é uma das suas maiores vantagens.

Que implicações tem o pós-operatório do procedimento de radiofrequência?

No geral, a radiofrequência é um processo seguro, simples e com poucas implicações para os pacientes. Além disso, implica um período de recuperação bastante curto, permitindo que os pacientes voltem ao trabalho e às actividades regulares num curto espaço de tempo (dependendo dos casos, poderá permitir o regresso ao trabalho mesmo no dia seguinte).

No pós-operatório terá que usar uma meia de contenção elástica, que será prescrita pelo seu médico de Cirurgia Vascular. Está recomendado o seu uso entre 4 a 6 semanas. 

Para mais informações pode consultar o site www.cirurgia-vascular.pt

Pode ligar directamente para os números 229 980 940 (Hospital de Dia da Maia), 229 980 900 (Hospital Privado da Boa Nova), 220 439 600 (Hospital Privado de Gaia), 229 940 663 (Centro Médico Leça da Palmeira) ou 255 820 700 (Santa Casa da Misericórdia de Lousada) e agendar directamente uma consulta com um especialista de Cirurgia Vascular

Saiba mais sobre Radiofrequência »

Dra. Joana de Carvalho - Especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular

Licenciada em Medicina e Cirurgia iniciou a formação específica em Angiologia e Cirurgia Vascular em 2005, no Hospital de S. João. Obteve o grau de especialista em Angiologia e Cirurgia Vascular, submetendo-se, posteriormente, ao exame de certificação europeu, obtendo o título de Fellow of the European Board of vascular Surgery. Desempenhou funções de Consultora Científica na área de Cirurgia Vascular do Programa Harvard Medical School Portugal. Realizou o curso Master em Fleboestética e fez certificação na técnica CLaCS (Cryo-Laser & Cryo-sclerotherapy), ambas no Brasil. Atualmente concentra a sua atividade na prática de técnicas minimamente invasivas, sem necessidade de internamento ou repouso e com resultados cosméticos otimizados. Mantém presença assídua em revistas com artigos temáticos na área da cirurgia vascular, bem como em programas de televisão onde aborda vários temas de cirurgia vascular e explora as soluções para o tratamento de derrames e varizes.

Partilhe este artigo

Artigo anterior

Ver todos os artigos

Próximo artigo